48963313521_82da609a6a_k.jpg

MAQUINISTA

A incrível história do “ator” que entrou para o bando de Lampião após enganar toda uma cidade. Antônio Maquinista*, tipo presepeiro, inteligente e bem-parecido, que com boa leitura e não pior escrita, dispôs-se a promover, em meados de 1926, um espetáculo de teatro na cidade de Floresta, Pernambuco. Mas, após recolher o dinheiro dos ingressos e arrecadar por empréstimo um sem-número de cobertas a serem improvisadas em cortinas, desapareceu na hora da abertura do espetáculo com tudo o que se achava em seu poder. Jurado de morte pela rapaziada fogosa da terra, justamente afrontada com o ridículo em que se envolveram indiretamente as suas famílias, é com pouca surpresa que dias depois estoura a notícia do alistamento do ator velhaco no bando de Lampião, onde aliás não viria a pôr freio ao seu espírito criativo.